Atividades

1231662_657066620978466_1592381713_n

No que refere à formação, atualmente a Universidade Livre trabalha com três formatos:

  • Cursos online – São atividades de formação política, realizadas a partir de um tema, podendo ou não ter educadoras (tutorias), geralmente com inscrições abertas para todo o país. Nos cursos são formadas turmas que são acompanhadas e dinamizadas por educadoras, que estimulam a reflexão e a troca de experiências entre as participantes, além de aportar conteúdos em consonância com os debates. Os cursos sem educadoras contam com um sistema que auxilia na realização das ações necessárias para estes sejam concluídos. Estes cursos acontecem através da plataforma Moodle, uma ferramenta de software livre amplamente utilizada em processos de EAD.
  • Conferências Livres – São debates que intercalam o virtual e o presencial, sendo realizadas de forma presencial e transmitidas online para debater questões candentes no contexto político e das lutas feministas. Na conferência livre, através da transmissão de vídeo, uma ou duas pessoas fazem breves apresentações ou provocações para estimular o debate sobre o assunto em questão e as demais participantes, de qualquer parte do país, interagem através do sistema de chat – uma vez que os softwares livres não permitem ainda uma participação massiva com o uso de vídeo. Também podemos fazer um processo semelhante com conferências gravadas.

 

  • Ações em artivismo libertário feminista: Atividades que reúnem mulheres artistas para a reflexão coletiva, a troca de experiências, o intercâmbio de conhecimento, a construção e realização de ações contraculturais feministas, antirracista, anticapitalista, a partir de diferentes estratégias artísticas, estéticas ou simbólicas e de variadas linguagens – o teatro, a música, o vídeo, a fotografia, a poesia, a performance, o grafite e outras intervenções artísticas.

 

A partir de 2014 pretendemos aprimorar estes formatos, mas também aplicar e desenvolver outros métodos de formação, ação e intervenção política, tais como:

 

Diálogos Feministas – Esta experiência está referenciada nos Diálogos promovidos pela Articulacion Feminista MarcoSur em diversas edições do Fórum Social Mundial, desde 2001 (diálogos intermovimentos, diálogos interculturais, diálogos feministas) e segue com várias iniciativas da Articulação de Mulheres Brasileiras, inclusive em parceria com a Universidade Livre. Nos Diálogos, por alguns dias ativistas se reúnem presencialmente para analisar situações específicas e trocar experiências a partir dos distintos lugares em que se situam, mapear uma situação problemática e discutir estratégias políticas. Na Universidade Livre queremos aprofundar e avançar nessa proposta, promovendo o encontro entre feministas que atuam em diferentes espaços (movimentos de mulheres, academia, poder público), mas todas com o sentido comum de luta antipatriarcal, antirracista e anticapitalista. A ideia é replicar o formato presencial, mas também adaptá-lo para viabilizar eventos online de debate e reflexão que promovam o diálogo entre diferentes sujeitos do feminismo.

Sessões de inquietação – Serão debates online, curtos, onde uma pessoa é convidada a inquietar, provocar, agitar determinados assuntos ou questões. São provocações ao pensamento e à ação feminista.