Criminalização dos movimentos sociais

Tecnologia digital: para mais democracia ou mais controle?

Na última quarta e quinta participamos do evento Diálogos Böll – Ambivalências Digitais: potencializando a democracia, controlando os cidadãos, da Fundação Heirich Boll Stiftung, para debater sobre o uso das tecnologias para aprofundamento da democracia e para controle das pessoas. Na primeira mesa, “Mundo digital e a sociedade civil: possibilidades e desafios”, Jéssika Martins falou

A batalha da líder camponesa Elizabeth Teixeira

Nascida no dia 13 de fevereiro de 1925 (ela fez 90 anos na última sexta-feira), no município de Sapé, Paraíba, Elizabeth Teixeira constrói sua trajetória em meio a lutas por justiça, terra e liberdade. De cabelo lavado e vestido que lhe parece grande demais, ela procura na gaveta um remédio para dor de cabeça. “O

Copa 2014: gol contra para as mulheres

Estudo do SOS Corpo mostra como mundial de futebol impactou negativamente a vida das mulheres pernambucanas Por Ludimilla Carvalho ​ Aumento no tempo de deslocamento entre casa e trabalho. Medo ao transitar em ruas pouco movimentadas e escuras. Perda de moradias. Aumento de casos de violência e exploração sexual de meninas e mulheres. Problemas que

Relatos de mulheres torturadas comovem Comissão da Verdade no Rio

Heloisa Artuth Sturm – Agência Estado Cineasta Lucia Murat e historiadora Dulce Pandolfi detalharam os abusos que sofreram na ditadura militar RIO – A historiadora Dulce Pandolfi e a cineasta Lúcia Murat prestaram depoimentos emocionados nesta terça-feira, 28, quando relataram à Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro as torturas a que foram submetidas

Brasil não protege seus/suas ativistas, afirma entidade

Segundo a Anistia Internacional, o Programa Nacional de Proteção aos Direitos Humanos avança a passos muito lentos e sem diálogo entre os níveis de poder. Marcelo Pellegrini — Carta Capital Em seu relatório anual divulgado nesta quarta-feira 22, a Anistia Internacional criticou a falta de proteção dada pelo Brasil aos seus defensores dos direitos humanos.

Ameaçada desde 1996, Regina sonha viver em paz

Ismael Machado, Diário do Pará/Agência Pública Em Eldorado dos Carajás, a migrante cearense que preside o sindicato rural vive escoltada por dois companheiros e não pode conviver com os netos para não expô-los ao risco Em dezembro de 2011, Maria Regina Gonçalves percebeu que a paz não fazia mais parte do seu cotidiano. Em um