#Agoraéquesãoelas

#Agoraéquesãoelas

Essa semana começou um novo movimento denominado #Agoraéquesãoelas, uma campanha na qual diversos homens cedem espaços das suas colunas em grandes jornais e portais na internet para que mulheres ativistas feministas possam falar da sua luta. Essa campanha é mais adquire grande repercussão por pautar a importância das mulheres terem voz na sua luta cotidiana contra a opressão.

A campanha #Agoraéquesãoelas tem como proposta que homens que se solidarizam com a causa das mulheres e querem ser nossos aliados nessa luta cedam seus espaços em grandes meios de comunicação para que algumas mulheres possam ter voz na luta contra a opressão de gênero.

Segundo Manoela Miklos, uma das idealizadoras da campanha a ideia surgiu a partir dessa provocação para que os homens ao invés de falar sobre o machismo cedessem seus espaços pra escutar o que as mulheres tem a dizer e “Dessa provocação surgiu, com a ajuda de muitxs e bons, a iniciativa#‎AgoraÉQueSãoElas: uma semana de mulheres ocupando os espaços masculinos de fala. Homens convidam mulheres para escrever no seu lugar e se colocam nesse lugar do ouvinte. Dando voz e vez a uma mulher. Reconhecendo a urgência da luta feminista por igualdade de gênero e o protagonismo feminino nesta luta.”

A campanha foi adaptada para diversos veículos de comunicação: jornais, blogs, canais de Youtube, perfis. Desde o início da semana diversos homens toparam participar cedendo seus espaços para mulheres, entre eles Gregório Duvivier, Marcelo Freixo, Jean Wyllys, Leonardo Sakamoto, Juca Kfouri e outros. Diversas mulheres publicaram seus textos e pautaram cada uma a seu modo sobre a importância da luta das mulheres e do debate sobre as relações de gênero.

Convocação no Perfil de Manoela Miklos:

Todxs:
Esse é um momento importante: mulheres estão perdendo direitos adquiridos com muita dificuldade. É cruel. Mulheres vêm relatando o que é ser mulher no Brasil hoje. E ser mulher no Brasil é perigoso. Contra essa crueldade e pra denunciar esse perigo, nós mulheres tomamos as ruas. E as redes.
Muitos homens que têm acesso a meios de comunicação e espaços de fala garantidos – verdadeiramente emocionados diante desse momento e solidários nesse movimento de empoderamento – têm vontade de escrever sobre o tema.
Do reconhecimento essa vontade em muitos homens, nasceu a provocação: e se todos os homens, ao invés de publicar textos sobre a importância de escutar, de fato reconhecessem a importância de escutar e cedessem, nessa semana, seus espaços para mulheres falarem? Hoje, como o importante é ouvir, eu e você leitor ouviremos. Com vocês, uma mulher.
Dessa provocação surgiu, com a ajuda de muitxs e bons, a iniciativa ‪#‎AgoraÉQueSãoElas‬: uma semana de mulheres ocupando os espaços masculinos de fala. Homens convidam mulheres para escrever no seu lugar e se colocam nesse lugar do ouvinte. Dando voz e vez a uma mulher. Reconhecendo a urgência da luta feminista por igualdade de gênero e o protagonismo feminino nesta luta.
Podem adaptar isso para os muitos veículos: jornais, blogs, canais de Youtube, perfis. Temos uma infinidade de maneiras de multiplicar informação. Todas elas podem ser, nessa semana, ocupadas por mulheres.
Muitos homens toparam e já cederam seu espaço nessa semana que começa para uma mulher, para as mulheres. Gregorio Duvivier, Marcelo Freixo, Jean Wyllys, Leo Sakamoto, Bruno Torturra, Ronaldo Lemos, Marcelo Paiva, João Paulo Cuenca, José Eduardo Agualusa, Marcus Faustini, Fred Coelho, Antonio Prata, Marco Aurelio Garcia, Juca Kfouri e outros. E queremos muitos mais com a gente. Queremos todxs juntos nessa onda. Pra que ela seja um tsunami.
As coordenadas são: a iniciativa #AgoraÉQueSãoElas começa segunda e dura uma semana. Você, homem, escolhe uma mulher e cede a ela o seu espaço de fala. Pode fazer uma breve introdução explicando o gesto de ouvir ao invés de falar, se for necessário. Use o hashtag.
Importantíssimo: na escolha das mulheres, pense na diversidade. Mulheres negras, de comunidades vulneráveis, mulheres trans, mulheres que têm ainda mais dificuldade de acesso aos meios de comunicação e muito, muito o que dizer. Podemos ajudar nessa escolha se você quiser, amigo. Conte com a gente.
É pela vida das mulheres.
Com doçura,
Manô Miklos
Rio de Janeiro
Domingo, 1 de Novembro de 2015

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>