Cyberativismo

Nas rodas e nas Redes

Ao longo dos últimos dez anos, a Universidade Livre Feminista tem se dedicado a fortalecer as lutas e movimentos feministas através de processos contínuos de formação on-line, presenciais e semipresenciais, estimulando a produção coletiva de conhecimento e promovendo a comunicação e articulação entre feministas de diferentes partes do Brasil. Essa tem sido uma trajetória de

#paracegover #paracegoler

Mulheres de classes populares e internet é tema de live, nesta terça, 16

Mulheres populares e desigualdades estruturais no uso das tecnologias e acesso à internet no Brasil. Esta é a questão central da live Nas rodas e nas redes: uso da internet por mulheres de movimentos populares, que a Universidade Livre Feminista realiza nesta terça, 16 de junho, às 17h30. A live marca também o lançamento da

Mulheres usam hashtag #MeuAmigoSecreto para denunciar comportamentos opressores

Nos últimos dias, mulheres têm utilizado a hashtag #MeuAmigoSecreto nas redes sociais para denunciar a incoerência de homens com comportamento preconceituoso de seus círculos sociais. A campanha traz relatos de todos os tipos: desde homens que se dizem libertários e de esquerda, mas mantêm relacionamentos abusivos com as companheiras ou não se relacionam com mulheres

Tecnologia digital: para mais democracia ou mais controle?

Na última quarta e quinta participamos do evento Diálogos Böll – Ambivalências Digitais: potencializando a democracia, controlando os cidadãos, da Fundação Heirich Boll Stiftung, para debater sobre o uso das tecnologias para aprofundamento da democracia e para controle das pessoas. Na primeira mesa, “Mundo digital e a sociedade civil: possibilidades e desafios”, Jéssika Martins falou

Fundo Elas lança edital para incentivar mulheres nas áreas de ciência e tecnologia

O Concurso “Gestão Escolar para Equidade: Elas nas Exatas”, em parceria com o Instituto Unibanco e a Fundação Carlos Chagas, recebe propostas até 3 de outubro de 2015. Nós, da Universidade Livre Feminista tivemos o prazer de participar do debate para apresentação de sugestões para o edital. Foi incrível, tem tudo pra ser um sucesso!

Relações mediadas digitalmente são tema da nova Revista Pagu

Percursos digitais: corpos, desejos, visibilidades – Cadernos Pagu n.44 jan./jun. 2015 organizado por Iara Beleli e Richard Miskolci Por Carolina Branco Nos últimos dez anos, computadores portáteis, smartphones, tablets, ganharam importância na vida das pessoas, que trabalham, se socializam e, inclusive, flertam e criam relações amorosas por meio deles. No mês de comemoração dos 20

CyberFeminismo nos Anos 90

Em texto de para o portal Motherboard, Claire L. Evans [Tradução de Ananda Pieratti] fala sobre o cyberfeminismo dos anos 90, uma corrente de pensamento, arte e crítica que nasceu no início da década 90. O termo cyberfeminismo foi cunhado simultaneamente pela teórica cultural britânica Sadie Plant e pelo coletivo artístico australiano VNS Matrix em

Acompanhe o Encontro Feminista na radio

Quer acompanhar o EFLAC pela Web? Todos os dias do Encontro, entre 16h e 20h (Horário de Brasília) a rádio web oferecerá uma experiencia de comunicação feminista participativa e comunitária. É só acessar www.13eflac.org, em espanhol. Durante as manhãs, também sera possível acompanhar as plenárias via streaming. A programação, no horário de Brasília, é: De

Segurança feminista na rede

Como vocês devem saber, sites feministas são bastante suscetíveis a ataques virtuais.Nossa conteúdos ~polêmicos~ são alvo fácil da vigilância machista. É melhor não dar mole. A internet não foi feita para ser segura, então as dicas são maneiras que a galera que milita nessa pauta da internet encontrou para tornar o uso mais seguro e

Donna Haraway e o manifesto ciborgue

Hoje, 6 de setembro, é aniversário Donna Haraway. Biologa e feminista, Haraway é professora de História da Consciência na Universidade da Califórnia, em Santa Cruz. Seus trabalhos influenciaram os chamados Estudos Culturais e Estudos de Mulheres (como a Teoria Literária e Filosofia). Seu trabalho mais famoso é o “Manifesto ciborgue”, originalmente publicado na Socialist Review,