Movimento Feminista

Apresentação de tela em tons de laranja e roxo. À esquerda, lê-se, de cima para baixo: Entrelaçando redes: tecnologias, feminismos e mobilização política. 20 de outubro, quarta-feira. 19h30-20h30. Com interpretação de Libras e o símbolo das duas mãos em laranja. À direita, na vertical, há três fotos circulares em preto e branco: Acima, Thiane Neves, mulher negra, usa cabelos presos e óculos de armação escura; abaixo, Cris Cavalcanti, mulher branca de cabelos curtos, usa óculos e máscara e, no canto inferior direito, Bibiana Serpa,, mulher branca de cabelos compridos. No canto inferior esquerdo, estão as marcas do curso “Navegando Juntas pelos Desafios da Internet” e da Universidade Livre Feminista. Fim da descrição.Quarta, 20/10, 19h30-20h30

Entrelaçando Redes: tecnologias, feminismos e mobilização política

As mulheres são produtoras de tecnologias diversas. No mundo virtualizado, como resgatamos nossa potência criadora para nos organizarmos politicamente? Para discutir os desafios de mobilização nos feminismos hoje, convidamos Cris Cavalcanti, sapatão, artivista, cientista social e comunicadora da Articulação de Mulheres Brasileiras; e Thiane Neves, publicitária, doutoranda da UFBA, pesquisadora da comunicação na Amazônia e

Inscrições Abertas – Curso Navegando Juntas pelos desafios da internet

Violência contra as mulheres é um problema crônico nas universidades, revela pesquisa

Feminismo com quem tá chegando

Os rostos do Chile na crise do modelo neoliberal

“O Chile despertou”, “explosão” ou “explosão social” são algumas das expressões locais que têm sido usadas para nomear o evento que surpreendeu a sociedade chilena no dia 18 de outubro, em reação ao aumento de 30 pesos na tarifa do Metrô de Santiago. O chamado dos alunos que incitaram e iniciaram o protesto foi “Evadir e não pagar”. Desde então, os cidadãos têm permanecido atentos e comprometidos com as suas demandas, insistentes e reiteradas nos últimos anos porque “não são 30 pesos, são 30 anos”, disseram eles.

A revolução é das mulheres: Margaridas mostram o poder do movimento organizado das trabalhadoras do campo, das águas e das florestas em resistência ao fascismo

“O território é nosso corpo, nosso espírito e essa luta é de todas nós”

Na Paraíba mais um feminicídio: nota do movimento feminista

Série de podcasts debate desafios das mulheres com deficiência

Transformar o luto em luta: #MarielleVive

Marielle representou um futuro que queríamos ver realizado. Ela era teoria e prática. Por Carla Batista*, coluna Mulheres em Movimento, Folha de Pernambuco Para relembrar: o Fórum Social Mundial (FSM) surgiu em 2001 como uma iniciativa de organizações e movimentos sociais em contraposição ao neoliberalismo simbolizado pelo Fórum Econômico Mundial (Davos). As primeiras edições aconteceram