Todos os posts

Resultado da seleção: curso Audiodescrição para ação feminista na internet

Ficamos surpresas e felizes com a procura pelo curso. Foram 117 pré-inscrições de mulheres de todo o Brasil para participarem da primeira edição do curso Audiodescrição para ação feminista na internet.  Devido à grande procura, redimensionamos o tamanho das turmas  de 16 para 20 participantes cada, totalizando 40 selecionadas.  Mesmo assim não foi fácil fazermos

Card laranja com ilustração em roxo, fontes em branco e roxo. Ao centro, um megafone com três linhas curvas que crescem em tamanho da esquerda para a direita. Abaixo, lê-se: Audiodescrição para ação feminista na internet. Fim da descrição

Em breve: curso Audiodescrição para ação feminista na internet 

Vivemos em um momento onde a informação mediada pelas novas tecnologias adquire importância crescente na vida cotidiana e na ação política dos movimentos sociais. Com o objetivo de contribuir para ampliação da acessibilidade comunicacional aos conteúdos feministas, especialmente para mulheres com deficiência visual e cognitiva, a Universidade Livre Feminista lança o curso Audiodescrição para ação

Websérie apresenta histórias reais de violências contra as mulheres

Na 3ª temporada, ‘Confessionário – Relatos da Casa’ é ainda mais real Em cinco dos nove episódios, atrizes contam histórias pessoais de violências sofridas Dor. Vergonha. Desespero. A agressão sexual vandaliza a intimidade da vítima. Transtorna a ponto de muitas optarem por não lidar mais com as lembranças e tentarem apagá-las. Já a atriz porto-alegrense

Prosa feminista: pesquisa de mulheres para mudar o mundo

Infraestruturas Feministas na construção de um novo mundo

Violência contra as mulheres é um problema crônico nas universidades, revela pesquisa

Coletivo As Trapeiras apresenta projeto “Fortalecendo Mulheres” em formato virtual

Coletivo se aproxima de mulheres vinculadas a centros de acolhimento e outros espaços através de oficinas artístico-pedagógicas, espetáculos e contação de histórias, alertando sobre a violência de gênero e padrões tóxicos de comportamento, dentro e fora de relacionamentos amorosos. Projeto fortalece mulheres cis e trans contribuindo para a quebra de ciclos de violência doméstica A

Campanha educativa “Feminismo com quem tá chegando” (ou por que não fazemos um curso básico sobre Feminismo?)

Odailta Alves, uma escritora de “letras pretas”