Todos os posts

2º Festival pela Vida das Mulheres

A publicação Trajetórias e Argumentos Feministas pelo Direito ao Aborto no Brasil foi lançada nesta segunda, 27, no Recife/PE, dentro da programação do 2º Festival Pela Vida das Mulheres. A publicação reúne os principais argumentos apresentados por dez organizações feministas, nas petições de Amicus Curiae, a favor da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF)

“Uma mortalha de papel para aqueles que não têm sepultura” 

Estamos começando um novo projeto no Instagram sobre livros escritos por mulheres e literatura! A cada sexta-feira, a ideia é conversar um pouco com quem nos acompanha nesta rede social sobre uma obra que consideramos relevante para nossos debates e lutas feministas. Em maio, estamos falando de obras que discutem a maternidade a partir de

8 de março e a importância de ouvir as mulheres

Por Thayz Athayde* Publicado originalmente no site da ADUA – Associação dos Docentes da Universidade Federal do Amazonas: http://www.adua.org.br/artigos.php?cod=269 O corpo das mulheres é atravessado de histórias. Parece que, ainda que algumas questões tenham sido discutidas e para algumas pessoas até superadas, o corpo das mulheres carrega um grito de luta em que precisamos dizer

“Firmes na resistência” – Vitória de Bolsonaro | Analba Brazão Teixeira, educadora y militante feminista:

Analba Brazão, educadora e militante feminista, integrante do SOS Corpo, da Articulação de Mulheres Brasileiras e colaboradora da Universidade Livre Feminista, fala sobre o enfrentamento ao fascismo, a violência que permeou as eleições 2018, a organização das mulheres e a resistência do Nordeste: “Estamos firmes na resistência”. A entrevista está em espanhol, mas super vale a

Nicarágua: 38 defensoras/es de DH presas/os de forma arbitrária

38 defensoras e defensores de direitos humanos e manifestantes que exerciam direito a reunião pacífica presos arbitrariamente em Manágua, Nicarágua. Na manhã do domingo 14 de Outubro, a Polícia Nacional prendeu de maneira arbitrária em Manágua, mais de 20 pessoas que estava, exercendo o direito a reunião pacífica para exigir a liberdade das presas políticas

Nossa autonomia não é moeda de troca eleitoral!

  Por Jéssica Barbosa e Sophia Branco, colaboradoras da Universidade Livre Feminista 28 de setembro é o dia Latino-Americano e Caribenho de Luta pela Legalização do Aborto. Em anos eleitorais é ainda mais importante falar sobre essa temática. No Brasil, temos visto a discussão sobre o corpo das mulheres se tornar mais pública nestes momentos

Virada Feminista 2018 tem caráter antifascista em conjuntura eleitoral

Virada Feminista Antifascista A Virada Feminista chega ao terceiro ano, nas ruas e nas redes, sempre na luta pela autonomia das mulheres e pelo direito ao aborto. Nesta edição estaremos reunidas na Virada Feminista Antifascista pela Legalização do Aborto, começando no dia 28/09 e com encerramento no dia 29/09. Convocamos todas as mulheres para a

No centro da fogueira: gênero, raça e diversidade sexual nas eleições

Por Denise Carreira e Ednéia Gonçalves* Do Ação Educativa para o Portal Geledés Link para a matéria: https://www.geledes.org.br/no-centro-da-fogueira-genero-raca-e-diversidade-sexual-nas-eleicoes/ Da apologia ao estupro à desqualificação de famílias chefiadas por mulheres (mães e avós); dos ataques à lei Maria da Penha, passando por discursos explicitamente racistas e homofóbicos que renderam denúncias no Supremo Tribunal Federal (STF), das quais surpreendentemente foi absolvido

Eleições em tempos de Golpe: o que nós mulheres temos a ver com isso?

Por CFEMEA Mais um pleito eleitoral se aproxima, e dessa vez diante de um contexto político crítico e agravado após o Golpe de 2016. Nesses dois anos, o (des)governo de Michel Temer reflete o seu machistério formado em sua maioria por homens, brancos, da elite econômica. Essa mesma composição tende a se fortalecer nas próximas

Performance combate o machismo e a censura às artes em São Paulo

Na ação, a premiada artista tatua na escritora feminista a flor-vagina que grafitou em um muro em Sorocaba e foi apagada após polêmica com vereador No fim de 2017, ano em que foi eleita rainha do graffiti brasileiro pela CNN, Panmela Castro teve seu mural apagado do muro do Palacete Scarpa, sede da Secretaria de Cultura e Turismo