Trabalho

Creuza Maria Oliveira: “Se a PEC das Domésticas existisse, não teria sofrido tanto”

Fonte: A Tarde Creuza Maria Oliveira, 56 anos, sofreu na pele a escravidão em pleno século XX. Tinha menos de 10 anos quando trabalhou como babá sem receber um centavo. O primeiro salário só veio aos 21 anos. Hoje, ela acumula uma trajetória de 28 anos de luta pelos direitos dos empregados domésticos. À frente

Direitos negados na casa da patroa

Mesmo com aumento de garantias trabalhistas nas últimas décadas, a informalidade ainda é regra para os empregados domésticos. Quase 70% da categoria não tem carteira assinada. Profissão exercida por 6,6 milhões no país carrega o ranço do passado escravista RENATA MARIZ – Correio Braziliense As últimas quatro décadas limpando, lavando, passando e cuidando dos filhos

Mulheres negras têm salário menor e menos acesso ao mercado de trabalho

Brasília – A discriminação com a mulher negra no mercado de trabalho é visível quando se analisam dados como o salário e o número de vagas ocupadas por elas. Mariana Jungmann Repórter da Agência Brasil

A Mulher e a sua Luta contra a Opressão e a Exploração

A Mulher e a sua Luta contra a Opressão e a Exploração[1] CLAUDIA MAZZEI NOGUEIRA Doutora em Serviço Social pela PUC/SP e Professora da UFSC.

Emprego do tempo: uma questão de gênero?

O sociólogo espanhol Carlos Pietro expõe como suas pesquisas se modificaram a partir do trabalho junto a colegas feministas. Assim se tornou possível para ele o estereótipo que delineia a palavra “trabalhador” e aquilo que exclui a “trabalhadora” que, além disso, carrega exclusivamente os cuidados imperativos do lar e da família. Por Veronica Gago, do