Revista do Observatório de Gênero faz sucesso

Revista do Observatório de Gênero faz sucesso

O Observatório Brasil da Igualdade de Gênero lançou nesta quinta (15), a edição especial da Revista da entidade. Participaram do coquetel de lançamento aproximadamente 400 delegadas e delegados dos 53 países da América Latina e do Caribe, reunidas em Brasília por ocasião da XI Conferência Regional sobre a Mulher da região. A publicação foi recebida com bons olhos pelos convidados presentes, pois aborda assuntos discutidos no evento, além de conter entrevistas com importantes especialistas da área de gênero.

A edição conta com um artigo de Alicia Bárcena, secretária-executiva do Comitê Econômico para América Latina e Caribe (Cepal), no qual aponta os indicadores das mudanças que têm acontecido nos últimos anos: climáticas, tecnológicas, demográficas e culturais. Ela ressalta a importância do desenvolvimento presenciado nos dias de hoje, que proporcionam uma globalização mais justa e permite uma consciência coletiva sobre os bens públicos globais, de forma a vivenciar a igualdade entre homens e mulheres.

A revista traz também, um artigo sobre o trabalho doméstico remunerado na América Latina. A especialista da Organização Internacional do Trabalho (OIT) para a América Latina, Maria Elena Valenzuela, defensora de trabalho decente para as trabalhadoras domésticas, apresenta um retrato das situações vividas em diversos países da região.

De acordo com a especialista, esse tipo de ocupação continua sendo a mais importante para as mulheres da região, em torno de 14%. No Brasil e na Argentina esse número chega a 17%, no Urugai 18% e no Paraguai 20%. A remuneração para essas trabalhadoras é em média de um salário mínimo.

Maria Elena Valenzuela aponta uma falha na legislação, pois os direitos protegidos para a classe não são iguais para os demais trabalhadores. Declara que é preciso um marco regulatório que garanta direitos como: contrato formal, jornada regulada, fixação da remuneração, cobertura de previdência social e proteção à maternidade.

Sonia Montaño, atual diretora da Divisão de Assuntos de Gênero da Cepal, em entrevista, traça uma breve retrospectiva das conferências regionais anteriores, fazendo um balanço dos resultados até aqui alcançados.

A professora Maria da Conceição Tavares, uma das mais renomadas economistas brasileiras, respondeu às perguntas sobre a crise financeira global que abalou o mundo em 2008 e refletiu sobre seus impactos – em especial, sobre a vida das mulheres. Também, analisou o contexto atual das relações internacionais contemporâneas e as expectativas sobre o futuro.

Clique aqui, para acessar a revista.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>