Contexto

Compreendemos o feminismo como prática política e pensamento crítico que visa o fortalecimento das mulheres como sujeitos políticos (individual e coletivo) capazes de transformar a si mesmas e suas histórias e de transformar a história e as condições de vida de outras mulheres. Entendemos, assim, as práticas e processos educativos são como o pilar da ação política feminista transformadora, tendo papel essencial no fortalecimento do movimento feminista. 

Apesar dos esforços de organizações e de ativistas, os orçamentos escassos das organizações e movimentos feministas não têm permitido o investimento em processos educativos que ampliem o número de mulheres mobilizadas para ações coletivas. O desafio, portanto, tem sido o de reunir esforços para superar essas dificuldades. 

É nesta perspectiva que se coloca a Universidade Livre Feminista, cuja estratégia é usar a internet e as novas tecnologias de informação e comunicação (TICs) para desenvolver processos de formação e comunicação política feminista.

Quem somos

A Universidade Livre Feminista é uma ação coletiva e colaborativa de educação feminista e popular que nasce no CFEMEA – Centro Feminista de Estudos e Assessoria, organização situada em Brasília, em 2009, em um contexto de grande efervescência do ativismo na internet.

A ideia surgiu a partir da percepção da necessidade de ampliar a formação feminista, com poucos recursos, em um país continental como o Brasil. Ela tinha uma vocação aglutinadora e, rapidamente, juntou muita gente que se inscrevia e queria participar dos cursos. Ali se discutiam as possibilidades que a internet poderia oferecer para impulsionar o movimento feminista.

Em poucos anos, o SOS Corpo Instituto Feminista para a Democracia e a Cunhã se agregaram, trazendo sua experiência de educação popular feminista, presencial, fincada na construção do movimento feminista com as mulheres populares, urbanas e rurais. Juntas mobilizamos uma rede de colaboradoras. A ideia inicial era atrair feministas que se disponibilizassem para contribuir com as ações educativas. Foi a primeira iniciativa a dar um passo em uma direção ainda não percorrida por organizações e movimentos feministas brasileiros: a educação feminista e popular à distância. 

As ações da Universidade Livre Feminista dialogam com as demandas dos movimentos feministas e de mulheres e buscam responder aos desafios da conjuntura e à transformação tecnológica. Através de atividades presenciais e virtuais, utilizamos metodologias que buscam adaptar para o ambiente EaD elementos da educação popular e da práxis educativa feminista. 

Principais ações:

As ações da Universidade Livre Feminista dialogam com as demandas dos movimentos.

Cursos para fortalecer a resistência das mulheres organizadas em coletivos, redes e articulações.

Debates com organizações feministas para pensar a internet e colaborar na apropriação das mulheres no uso das TICs.

Pesquisas e publicações sobre acesso à internet, TICs e cuidados digitais.

Memória

Criada em 2009, a Universidade Livre Feminista foi a primeira iniciativa a dar um passo em uma direção ainda não percorrida por organizações e movimentos feministas brasileiros, que é a educação feminista à distância. A proposta não é substituir os movimentos sociais de mulheres, mas fortalecer suas capacidades estabelecidas e construir novas, através desse novo espaço político, educacional e cultural, mantido e coordenado pelas próprias feministas que se associarem a ele.